Brasília – A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas quer uma cópia do inquérito e de todos os anexos das investigações sobre a tentativa de compra de dossiê contra políticos tucanos. Quatro membros da comissão, que estão em Cuiabá para acompanhar as investigações da Polícia Federal e da Justiça Federal, farão o pedido nesta segunda-feira (9) ao juiz Jefferson Schneider.

O anúncio foi feito pelo sub-relator da CPI, deputado Paulo Rubem Santiago (PT-PE), após reunião com o delegado da Polícia Federal responsável pelas investigações, Diógenes Curado Filho. Também participaram da reunião os sub-relatores deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP), Júlio Delgado (PSB-MG) e Vanessa Graziotin (PCdoB-AM). Entre os anexos, encontra-se todo o material apreendido pela PF junto ao tio do empresário Luiz Antônio Trevisan Vedoin, que negociou os documentos com petistas.

?A reunião foi muito positiva, agora queremos autorização para levar o inquérito?, afirmou o deputado em entrevista por telefone à Agência Brasil. Entre os documentos apreendidos, a CPI quer analisar principalmente os extratos bancários encontrados na casa do dono da Planam, Luiz Antônio Trevisan Vedoin, após a prisão do ex-assessor da campanha de Lula Gedimar Passos e o ex-filiado ao PT Valdebran Padilha, acusados de tentar comprar o dossiê para o partido.

A CPI dos Sanguessugas recebeu no dia 22 de setembro uma cópia do dossiê que ligaria políticos ao esquema de compra superfaturada de ambulâncias, além do registro dos depoimentos tomados dos presos na operação em São Paulo e Cuiabá.