O relatório final da CPI Mista dos Correios, divulgado há pouco, recomenda, na parte referente ao chamado "valerioduto" – esquema de fornecimento de dinheiro a partir das contas do empresário Marcos Valério Fernandes ao PT para pagamento de propina a deputados – que a Justiça proceda ao indiciamento de dezenas de pessoas. Entre os mencionados estão o próprio Valério, cujo indiciamento é pedido sob acusação de prática de nove crimes: falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, tráfico de influência, corrupção ativa, supressão de documentos, fraude processual, crime contra a ordem tributária, peculato, atos de improbidade administrativa.

Outro de quem o relatório pede o indiciamento é o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, por falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, crime eleitoral, corrupção ativa e peculato. O indiciamento do ex-presidente do PT José Genoino é recomendado porque a ele são atribuídos os delitos de falsidade ideológica, corrupção ativa e crime eleitoral.

O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, principal coordenador da campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva em 2002 e responsável pelas articulações que resultaram na formação da base parlamentar do governo, é acusado de prática de corrupção ativa, e por isso o relatório recomenda seu indiciamento na Justiça. O mesmo diz o texto da CPI em relação ao ex-ministro Luiz Gushiken, acusado também de tráfico de influência.