A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a compra de votos deve receber na próxima segunda-feira (15) os documentos contábeis e os papéis com a movimentação das empresas DNA e Grafite, pertencentes ao empresário Marcos Valério. Na última quinta-feira (11), Valério entregou a documentação referente à contabilidade e a pagamentos da SMP&B.

Além de analisar esse material, a CPI da Compra de Votos marcou o depoimento do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares para a próxima quarta-feira (17). Um dia antes, deputados e senadores que integram a CPI tomam os depoimentos dos ex-tesoureiros Jacinto Lamas, do PL, e Emerson Palmieri, do PTB.

De acordo com o presidente da CPI, senador Amir Lando (PMDB-RO), em uma reunião na terça-feira, a comissão vai votar requerimentos de convocação de depoentes, além de eleger o novo vice-presidente da CPI. O escolhido substituirá o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que renunciou na última quinta-feira.

Pimenta deixou o cargo após admitir que, depois do depoimento de Marcos Valério na madrugada de quarta-feira (10), pegou uma carona com o empresário em busca de uma nova lista de sacadores de dinheiro nas contas de Valério.

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara deve receber na próxima semana as defesas, por escrito, dos deputados José Dirceu (PT-SP) e Sandro Mabel (PL-GO). O Regimento Interno do Conselho estabelece um prazo de cinco sessões da Câmara para que os denunciados entreguem o documento. O prazo começa a contar na data que o parlamentar for notificado.

O deputado José Dirceu ainda não recebeu a notificação. O deputador Romeu Queiroz (PTB-MG), acusado de receber R$ 50 mil de Marcos Valério, apresentou ontem sua defesa por escrito. Dirceu, Mabel e Queiroz, após apresentarem defesa, poderão indicar cinco testemunhas em seu favor.

Outra frente de investigação, a Comissão de Sindicância da Câmara, continua a tomar depoimentos na próxima semana. Como os trabalho dessa comissão são sigilosos, os nomes dos depoentes não têm sido divulgados. O presidente da Câmara, Severino Cavalcanti, deverá despachar uma nova representação contra 14 deputados para a Comissão de Sindicância.

A representação foi apresentada pelo senador Luiz soares (sem partido-MS). O presidente do Conselho de Ética, Ricardo Izar (PTB-SP), já pediu a Severino que em vez de encaminhar a representação à Comissão de Sindicância a encaminhe diretamente ao conselho.