O presidente do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto, disse que os valores recebidos pelo partido vieram todos da SMP&B, agência de publicidade ligada a Marcos Valério. Antes de ser ouvido pela Polícia Federal em Brasília, Costa Neto disse que deve mandar hoje (25) ofício ao relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Compra de Votos afirmando que todos os recursos vieram da SMP&B.

Em seu depoimento na CPMI, Costa Neto havia dito que desconhecia a origem de 20% desses recursos. "Eu me equivoquei. Todo o dinheiro veio da SMP&B". Valdemar Costa Neto disse que o dinheiro foi usado para pagar dívidas com os fornecedores da campanha à Presidência da República em 2002. "Nunca duvidei da origem do dinheiro do PT e sempre achei que o PT iria regularizar a situação".

O presidente do PL renunciou ao mandato de deputado federal no dia 1º de agosto depois de afirmar em plenário da Câmara dos Deputados que recebeu recursos do PT não declarados à Justiça Eleitoral, o chamado caixa 2. Ele afirmou aos parlamentares que o acordo inicial com o PT era de que o PL recebesse R$ 10 milhões, mas que isso não foi cumprido. Valdemar disse ainda que não tem documentos que comprovem o recebimento dos R$ 6,5 milhões e tem apenas recibos de R$ 1,7 milhão.