Brasília (AE) – O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Nota, divulgou hoje (13) nota oficial afirmando que seu partido "não cobrou dinheiro do PT para fazer aliança" na campanha presidencial de 2002, encabeçada pelo petista Luiz Inácio Lula da Silva. O acordo, segundo ele, envolveu o repasse de recursos para o PL pagar despesas da campanha PT-PL. Em entrevista à revista Época, Valdemar Costa Neto contou bastidores do acordo político que foi feito com a cúpula do PT para que José Alencar, do PL, fosse candidato a vice na chapa presidencial de Lula.

Na entrevista, Valdemar admite que ficou combinado que o PL receberia cerca de R$ 10 milhões pelo sistema de caixa dois para financiar custos da campanha nacional.

Na nota, Valdemar nega que o dinheiro tenha servido para comprar o apoio do partido a Lula, mas reafirma que Lula e o próprio Alencar sabiam que PT e PL estavam negociando um acordo envolvendo repasse de recursos para custos de campanha. "O que fizemos foi um acordo para cobrir despesas da campanha da PT-PL. Tínhamos uma campanha presidencial conjunta e despesas conjuntas. O que eu disse, e é verdade, é que o presidente Lula sabia do acordo em que o PT repassaria recursos para o PL pagar despesas da aliança de 2002. O que eu não podia imaginar é que essas dívidas de campanha seriam pagas depois da posse, e com dinheiro de caixa 2", afirma Valdemar na nota oficial.