O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, reafirmou há pouco, ao chegar para depor na Polícia Federal, que todo dinheiro recebido do empresário Marcos Valério de Souza, foi usado para pagar dívidas com fornecedores, contraídas durante a campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. O dinheiro, informou, foi fruto de um acordo partidário entre o PL e o PT , com conhecimento do presidente Lula.

Na CPI de Compra dos Votos (do Mensalão) Costa Neto disse que só reconhece o recebimento de R$ 6,5 milhões. Mas Valério informou que outros R$ 4 milhões foram enviados também ao PL, por intermédio da empresa Guaranhuns. A PF quer saber de Costa Neto onde foi parar esse dinheiro, porque há indícios de que ele possa ter sido remetido ilegalmente para o exterior. Segundo Costa Neto, as verbas que ele assume ter recebido foram todas repassadas pela empresa de publicidade SMPB, de Valério.