O corpo do cobrador Wescley Adriano da Silva, vítima da tragédia no Metrô paulista, foi transportado nesta madrugada para Natal, numa viagem acompanhada por um grupo de 36 pessoas, entre familiares, um gerente do consórcio Via Amarela – responsável pela obra da estação que desabou -, médica, assistente social e psicóloga. O sepultamento será hoje à tarde.

Wescley é uma das seis vítimas já localizadas na cratera aberta pelo desabamento da estação Pinheiros da Linha 4 do Metrô, sexta-feira passada. Familiares esperam que as promessas de indenização se concretizem e seus direitos sejam respeitados. "A cada dia vou descobrir de onde vou ganhar forças para educar o meu filho", disse Thaís Ferreira Gomes, 18 anos, namorada de Wescley e grávida de oito meses. "Garanto que ele será que nem o pai, esforçado e trabalhador", acrescentou a jovem.

A vereadora paulistana Bilu Villela (PTB) disse que foi a Natal representando a dor do povo de São Paulo e em nome do governador José Serra (PSDB) e do prefeito da capital, Gilberto Kassab (PFL). O Consórcio Via Amarela custeou despesas de passagens aéreas, hospedagem, traslado e alimentação para os familiares e a equipe que integra o grupo que acompanhou o transporte do corpo de São Paulo a Natal.