O prefeito de Ariranha do Ivaí, Silvio Gabriel Petrassi, não conseguiu esconder sua satisfação ao receber nesta quarta-feira (13), em Curitiba, da presidente do Provopar Ação Social, Lucia Arruda, oito máquinas de costura, que vão compor a cooperativa de trabalhadores no ramo de confecções, a primeira empresa instalada no município, de pouco mais de 3 mil habitantes e que foi emancipado em 1997.

?Agora, vamos conseguir segurar os jovens em nosso município, que estava virando uma cidade só de idosos?, disse o prefeito ao assinar o termo de doação de máquinas para a nova cooperativa, que será instalada num salão alugado pela prefeitura e que conta, atualmente, com 40 cooperados, a maioria jovens.

As máquinas de costuras também estavam sendo aguardadas com grande expectativa pelo prefeito de Japira, João Renato Custódio, que pretende implantar outras cooperativas em seu município, onde mais da metade da população vive na zona rural. ?Temos várias associações de produtores rurais, mas estou trabalhando para que a maioria seja transformada cooperativa, porque agrupa mais e tem facilidade para colocar seus produtos no mercado?, disse.

Por enquanto, a cooperativa de trabalhadores no ramo de confecções é a única existente no município e vai funcionar num prédio alugado pela prefeitura. Mas o prefeito informou que está desapropriando uma área e, dentro em breve, dará início a construção de uma sede própria. A cooperativa de Japira conta atualmente com cerca de 20 pessoas. ?O número de associados deve aumentar, agora, com a chegada das máquinas doadas pelo Provopar?, acrescentou.

Foram entregues 13 máquinas de costura e equipamentos para a cooperativa de Borrazópolis, que conta com 235 pessoas inscritas, e outras 8 para a cooperativa de Ibaiti. ?A principio, vamos trabalhar em três turnos na confecção de malhas. Contudo, já estamos pensando numa possível ampliação, face ao grande número de pessoas interessadas em ingressar na cooperativa?, revelou Miroslava Buleck de Araújo.

Para Lucia Arruda, a entrega das máquinas e equipamentos faz parte da política de geração de trabalho e renda do Provopar Ação Social. ?E percebemos que o melhor caminho para alcançar este objetivo é através do cooperativismo. Assim, pretendemos formar cooperativas não só no setor de confecções, mas em outras áreas. Estamos incentivando, por exemplo, a implantação de uma cooperativa de crochê com barbante em Cambira e outros municípios do Vale do Ivaí. Atualmente, as mulheres que trabalham nessa área são exploradas por atravessadores, que pagam R$ 0,20 por um tapete e o revendem para o exterior por altas somas. A cooperativa acaba com a figura do atravessador?.

Campanha do Agasalho

Na mesma solenidade, Lucia Arruda efetuou a entrega de 3 toneladas de agasalhados para dez entidades de Curitiba e Região Metropolitana, que receberam ainda 400 quilos de batatas e 100 de cebolas doados pela Claspar. As entidades beneficiadas foram: Mãe Solidária, Comunidade Deus Capacita, Associação dos Moradores da Vila Ivaí, Acridas, Centro Vicentino de Educação Infantil, Igreja do Evangelho Quadrangular, Creche da Irmãs Ursulinas, Vidas para Cristo, Vila Zumbi dos Palmares e Centro de Educação Maria José.