A contratação do seguro rural para as lavouras que são formadas no período agrícola conhecido como safra de verão (arroz, feijão, milho, soja, algodão, etc.) começou no mês de agosto com perspectivas de crescimento.

Na avaliação do diretor do Departamento de Gestão de Risco Rural (Deger), da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Welington Soares de Almeida, o ano de 2007 deverá ser um marco na consolidação do seguro rural no Brasil, já que a capacidade de contratações foi triplicada.

Almeida explica que os gastos com a subvenção foram ampliados de R$ 32 milhões, em 2006, para R$ 100 milhões, neste ano, fato que impulsionará o crescimento e possibilitará segurar capital de R$ 9 bilhões. Com esse valor, ?espera-se que a área segurada passe para cinco milhões de hectares e o número de produtores atendidos pelo seguro rural chegue a 50 mil. A expectativa é de que 70 mil apólices sejam contratadas em 2007. Como a área ocupada com agricultura temporária e permanente é de 63 milhões de hectares, cerca de 8% da área cultivada deverá ser coberta pelo seguro rural privado neste ano?, disse.

Estão habilitadas para operar no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSPSR), em 2007, as seguradoras AGF Seguros, Aliança do Brasil, Mapfre Seguradora, Nobre Seguradora e Seguradora Brasileira Rural. O Deger está analisando ainda o pedido de habilitação para operar no PSPSR mais duas seguradoras, a Porto Seguro e a Itaú XL.