Já está no Conselho de Ética da Câmara a representação contra os 69 deputados acusados pela CPI dos Sanguessugas de envolvimento com a máfia das ambulâncias. Junto com a representação, a Mesa da Câmara enviou 80 volumes com o resultado das investigações desenvolvidas pela comissão de inquérito e com o relatório sobre cada um dos deputados citados.

O Conselho de Ética vai pedir, agora, à Secretaria da Mesa da Câmara que numere cada processo com o nome de cada parlamentar e na próxima terça-feira, às 11 horas, o presidente do colegiado, deputado Ricardo Izar (PTB-S) , vai instaurar todos os processos.

Izar já marcou para o dia 4 de setembro a escolha dos relatores dos processos. Por causa do grande número de acusados, os 15 membros titulares e 15 suplentes do Conselho serão responsáveis por mais de um processo. O relator não pode ser nem do mesmo partido nem do mesmo Estado do acusado. Além disso, o presidente do conselho tampouco pode atuar como relator.

O deputado Ildeu Araújo (PP-SP), que é membro do Conselho, será afastado por ofício, já que há processo contra ele, e deverá ser substituído por outro deputado do partido.

Os deputados acusados terão prazo até terça-feira próxima pela manhã para, caso assim o desejarem, entregar seus pedidos de renúncia para fugir dos processos de cassação.