Elizabeth Cerqueira, 62 anos, morreu neste domingo (6) em Vila Isabel, Rio, vítima de bala perdida, num confronto entre policiais do 6º Batalhão da PM (Tijuca) e traficantes que desciam de motocicleta o Morro do Macacos, um dos muitos que cercam o bairro, na zona norte. Ela faleceu no Hospital do Andaraí. O bandido que pilotava a moto também foi baleado e morreu no hospital.

Segundo o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, o confronto foi inevitável. "É preciso fazer distinção sobre a atuação da polícia. Algumas ações podem ser planejadas e o impacto à população, reduzido. E há ações em que a polícia é chamada para o pronto-atendimento. E o impacto à população toma outra dimensão. A pior alternativa é não fazer nada", disse ele.

O confronto começou, segundo a versão dos PMs, quando a viatura dos policiais se deparou com o "bonde", como é conhecida a passagem de bandidos armados em motos ou carros. A moto havia sido roubada na Praça da Bandeira. Ao serem abordados pela polícia, que fazia patrulhamento no local, os dois bandidos que vinham na moto reagiram e começou o tiroteio. Eles estariam vindo na frente de outros dois carros, que formariam um comboio de traficantes. Em meio ao tiroteio, os carros do comboio voltaram para o morro. Elizabeth havia saído de um prédio, em visita a um parente, e estava na calçada, quando foi atingida. O caso está sendo investigado pela 20ª Delegacia de Polícia Civil (Vila Isabel).

Hoje, no Instituto Médico Legal (IML), parentes da vítima não quiseram comentar o caso. "A polícia não é treinada para dar tiros a esmo. Ela trocou tiros com o criminoso, que foi pego. Infelizmente, a senhora foi vítima", comentou o secretário de segurança. Os policiais apreenderam a moto, além de um revólver calibre 38, informou a polícia.