A 40ª Conferência Regional das Américas contra o racismo e todas as formas de discriminação começa hoje (26), em Brasília, e deve reunir até sexta-feira (28) representantes de 21 países, entre eles, Chile, Estados Unidos, El Salvador, Uruguai e Bolívia. Governos e sociedade civil pretendem avaliar a realidade e o contexto histórico para selecionar as melhores medidas para combater a discriminação racial.

Esse é um dos objetivos do evento, conforme explicou a subsecretária da Secretaria de Igualdade Racial (Seppir) e coordenadora da conferência, Maria Inês Barbosa. Para isso, a conferência vai dividir os paises em cinco grupos: América do Norte, Central e Caribe, Cone Sul e Região Andina.

Nos grupos, destacou Maria Inês, os países terão espaço para discutir problemas comuns entre si como a imigração, a questão indígena e a população negra. Na opinião da subsecretária, o evento representa um avanço porque vai reunir organizações da sociedade civil, representantes de Estados e organismos internacionais para discutir o que foi feito para acabar com a discriminação racial com base no plano de ação de outras conferências como a de Durban, realizada em 2001. 

?Essa é uma conferência de diálogo, de reflexão. O evento será um espaço de avaliação das medidas que foram implementadas e dos desafios ainda não alcançados. Além disso, vamos apontar recomendações.?