Campeã da primeira edição do Concurso Café Qualidade Paraná, ocorrida na safra passada, a região de Londrina mobiliza a cadeia produtiva do setor e lança para 19 municípios o concurso 2005. A solenidade oficial será nesta quarta-feira (25), a partir das 14:30h, no Auditório Milton Alcover, no Parque de Exposições Governador Ney Braga, como parte integrante da programação técnica do 1o Seminário Regional de Secretários Municipais de Agricultura.

Com quase dois mil cafeicultores cultivando 21,4 mil hectares para a produção esperada nesta safra de 317,4 mil sacas beneficiadas, a região tem potencial de repetir o sucesso obtido, afirma Ildefonso José Haas, engenheiro agrônomo da Emater, coordenador técnico do evento de lançamento. Ele lembra que o fator determinante é a nova cafeicultura implantada na década de 90 pelo padrão tecnológico do sistema adensado, hoje adotado pelos cafeicultores através do trabalho integrado da Emater e Iapar.

Gonçalo Marques Pereira, de 72 anos, é o cafeicultor de Londrina que se sagrou campeão do Concurso Café Qualidade Paraná 2004. Produzido no Sítio São João, de 17 hectares, no Bairro Água dos Nogueiras, distrito Lerroville, o café venceu na categoria de Café Natural. Além de Gonçalo, o município venceu para a região nesta mesma categoria os 3o, 4o e 9o colocações dentre os melhores cafés no Estado.

Ildefonso, que também é degustador e classificador oficial do Projeto Café da Emater, acredita que nesta segunda edição será ampliada a participação de 30 para 80 cafeicultores da região no concurso. Isso pelos atrativos promovidos pelo certame como a divulgação da qualidade do café regional e melhoria na comercialização da safra dos inscritos.

Ele assegura que as condições clima quente e sem chuva diferem da colheita passada, feita com chuva e mesmo com atual perda de granação provocada pela estiagem que vai resultar em grãos de peneiras menores e com alguns defeitos de tipo, a bebida deverá ser bem melhor, em muitos casos variando de dura e apenas mole (que são bebida de cafés chamados especiais). Isto, ?se bem adotadas as técnicas de colheita seletiva, no pano, com seca e procedimentos corretos de pós-colheita?, conclui o coordenador geral do Concurso.