Brasília – O Brasil deve produzir 121,5 milhões de toneladas de grãos na safra 2005/2006. O valor ainda é 6,6% maior que o da safra passada (2004/2005) de 113,9 milhões de toneladas, mas ficou 0,9% abaixo do levantamento anterior de 122,6 milhões de toneladas, realizado em março. Os números constam do quinto levantamento da safra divulgado hoje (5) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A pesquisa mobilizou um grupo de 70 técnicos, que esteve em campo no período de 20 a 24 de março, avaliando as culturas de algodão, arroz, feijão milho e soja. Foram entrevistados cerca de 1,6 mil informantes em todo o país, entre cooperativas, agentes financeiros, produtores e representantes de órgãos públicos e privados.

Esta foi a segunda queda consecutiva nas estimativas, mas ainda está dentro dos números previstos pela Conab no primeiro levantamento, realizado em outubro do ano passado, em que a produção de grãos variava entre 121,5 milhões e 124,9 milhões de toneladas.

De acordo com o presidente da Conab, Jacinto Ferreira, a soja foi o fator "preponderante" para a redução da estimativa frente ao levantamento divulgado no mês passado. "A novidade em relação à pesquisa anterior é que nós detectamos uma quebra um pouco mais acentuada na soja, principalmente em virtude da situação climática no Paraná, Minas Gerias e Bahia".

Segundo a Conab, os produtores deverão diminuir em 4,3% a área plantada. A projeção é de que sejam utilizados 47,0 milhões de hectares contra os 49,1 milhões de hectares da safra anterior. Ferreira explicou que essa redução foi compensada pelo aumento da produtividade, "tanto assim que no total geral dos grãos deve aumentar 6,6% em relação ao ano passado, justamente pela recuperação da produtividade bastante afetada pela grande seca que houve ano passado no Sul do país".