O vice prefeito Luciano Ducci e a secretária municipal da Educação, Eleonora Fruet, reúnem-se nesta sexta-feira (08) em Brasília com a diretora geral da Unesco no Brasil, Marlova Jouchelovitch Noleto. O objetivo do encontro é acertar a parceria do organismo internacional no programa Comunidade Escola, desenvolvido pela Prefeitura de Curitiba.

"Existem muitos pontos em comum entre o Comunidade Escola e o programa Abrindo Espaços – Educação e Cultura para a Paz, desenvolvido pela Unesco e aplicado em sete estados brasileiros", explica a secretária Eleonora Fruet. "São experiências que se completam." A parceria deverá ser firmada durante workshop promovido este mês em Curitiba e o programa começará a funcionar em maio.

O Comunidade Escola, que visa transformar as escolas municipais em centros sociais da comunidade, é uma das prioridades da administração municipal e consta do Plano de 180 dias do Governo Beto Richa. "Trata-se de um programa com um alcance social fantástico. Ele torna a escola centro de irradiação dos serviços da Prefeitura para a comunidade local", define Richa. "Ter a chancela da Unesco vai alavancar ainda mais o programa", afirma.

Desde fevereiro, cerca de 50 pessoas, representando as secretarias municipais da Educação, Esporte e Lazer, Urbanismo, Saúde, Defesa Social, Imap, Ippuc e Fundação Cultural, trabalham na sua articulação e planejamento. No dia 18 será realizado um grande seminário com a presença de secretários municipais, administradores e representantes dos núcleos regionais, quando serão definidas as primeiras escolas que farão parte do programa. "Vamos implantá-lo em nove escolas municipais, uma em cada regional, na semana do Dia das Mães", conta Eleonora.

Para Eleonora Fruet, além de funcionar como um elo de integração nas comunidades, o programa também terá papel importante na melhoria da aprendizagem. "Existem estudos que comprovam a importância da participação da família na escola. Quanto maior é a interação, melhor é a aprendizagem da criança", acrescenta.

População escolhe atividades

O Comunidade Escola tem como objetivo fazer com que o cidadão se aproprie dos espaços públicos da cidade. O programa vai abrir as escolas nos finais de semana para a realização de uma série de ações e programas municipais como prática esportiva, aulas de informática, apresentações culturais, oficinas e exposições artísticas, educação ambiental, cursos de nutrição e capacitação profissional.

Para definir quais serão as atividades promovidas, será formado um comitê local que incluirá professores, pais, pessoas da comunidade, da Prefeitura, um empresário da região, de qualquer porte, e uma ong que tenha ações desenvolvidas no bairro.

"É esse comitê que vai selecionar, dentro do cardápio de atividades possíveis, as mais adequadas aos desejos da comunidade, horários e disponibilidade física das escolas", explica o diretor de Informações Educacionais da Secretaria Municipal da Educação, Wilhem Meiners.

Para facilitar a implantação do programa, a Secretaria da Educação e o Ippuc estudam a ampliação e readequação dos espaços físicos, o que irá permitir incorporar às escolas atividades para todas as faixas etárias, como oficinas diversas e esportes.

Já está sendo elaborada uma nova planta arquitetônica, que irá contemplar as três unidades que serão inauguradas ainda este ano. A idéia é colocar lado a lado o laboratório de informática e a biblioteca, que ficarão localizados na entrada da escola, de forma a facilitar o acesso fora do horário escolar.

Outro equipamento importante é a quadra poliesportiva. Em março, o prefeito Beto Richa entregou três quadras cobertas construídas em Centros de Educação Integral. Outras 20 estão em obras em escolas de vários bairros.