O mercado do gás natural no Paraná cresceu 18% no primeiro semestre de 2006 em relação ao mesmo período de 2005. O número, divulgado pela Companhia Paranaense de Gás (Compagas) nesta segunda-feira (07), é o maior índice de aumento de um semestre para o outro desde que a empresa iniciou a distribuição do combustível no estado, no ano 2000. A média diária de vendas do gás natural no semestre passado foi 750,5 mil m³/dia.

E em junho, o último mês do semestre, a média chegou a 832,2 mil m3/dia, com picos superiores a 977 mil m³ em um dia. Foi o melhor mês de vendas da empresa, com um aumento de 15% em relação ao mesmo mês de 2005. ?Os números são animadores e estamos cada vez mais próximos de atingir a meta de 1 milhão de m³ no dia?, diz o diretor presidente da distribuidora paranaense, Luiz Carlos Meinert.

A Compagas distribui o gás natural aos segmentos industrial, comercial, residencial, veicular, de cogeração e de matéria-prima. Entre eles, o que mais cresceu em relação ao ano passado foi o comercial. No semestre, o aumento em volume de vendas foi de 87%, passando de 2,6 mil m³/dia para 5 mil m³/dia na média. Em junho de 2005 eram 50 empresas consumindo o gás natural. Agora são 88. Dentro deste segmento, o destaque são os hotéis e os restaurantes.

Só em Santa Felicidade, bairro curitibano que é referência nacional na área de gastronomia italiana, a Compagas distribui o gás natural a 17 restaurantes. O consumo do segmento comercial chega hoje a 6,5 mil m³/dia.

Outra ação da Compagas para ampliar o acesso das pessoas ao gás natural foi o aumento das vendas nos segmentos residencial e veicular. Na área residencial, o crescimento em volume de vendas foi de 65% em relação ao primeiro semestre de 2005. A empresa passou de 31 para 47 prédios consumindo o gás natural, num total de 1600 apartamentos e um público direto de quase 8 mil pessoas. A rede residencial está disponível hoje em Curitiba, nos bairros Batel, Água Verde, Bigorrilho e na região do Ecoville.

No segmento veicular, o aumento das vendas no semestre chegou a 22% (de 61,8 mil m³/dia para 75,3 mil m³/dia. Em junho, as vendas do segmento chegaram a 81,2 mil m³/dia. Hoje, a distribuidora fornece o combustível a 21 postos ? 20 em Curitiba e 1 em São José dos Pinhais ? e o número de carros convertidos para gás natural veicular (GNV) chega a 18 mil. No primeiro semestre, a Compagas levou o GNV ao primeiro posto fora de Curitiba ? o Tio Zico, em São José dos Pinhais ? e, ainda em agosto, vai disponibilizar o combustível em mais um município da Região Metropolitana, Campo Largo.

Na área industrial, responsável por 80% das vendas da Compagas, o destaque foi a utilização do combustível para cogeração (geração de energia através do gás natural) e como matéria-prima. Em cogeração, o aumento de vendas chegou a 80% (176 mil m³/dia) no comparativo dos dois semestres (utilizada nas indústrias Incopa e Corn Products Brasil) e, no segmento de matéria-prima, o crescimento foi de 119% (92 mil m³/dia) graças ao uso do combustível para esse fim na Peróxidos do Brasil.

Agora, para o segundo semestre, após os ajustes que serão realizados pela Copel na UEG Araucária, a Compagas poderá fornecer gás natural para a termelétrica, auxiliando assim na recomposição dos reservatórios das hidrelétricas da Região Sul. ?Isso mostra a versatilidade do uso do gás natural no Paraná?, ressalta Meinert. A Compagas é responsável hoje pela distribuição de gás natural a 1.805 clientes paranaenses de todos os segmentos.

Mercado de Gás Natural no Paraná (dados de julho 06)

Mercado Nº Volume ( mil m³/dia)
Postos de GNV 21 82
Indústrias 94 446
Gás como mat.-prima 01 115
Gás para Cogeração 02 184
Comércio 88 6,5
Residências 1600 (em 47 edifícios) 2
Total (média) 1805 850