Brasília – O presidente da Comissão Mista de Orçamento do Congresso, deputado Gilmar Machado (PT-MG), informou nesta quarta-feira (6) que vai propor aos líderes partidários a substituição, na comissão, dos 17 parlamentares acusados de participar do esquema de venda de ambulâncias a preços superfaturados, por meio de emendas ao Orçamento.

Dois senadores e 15 deputados integrantes da comissão foram citados no relatório parcial da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas como suspeitos de envolvimento com o esquema.

"Regimentalmente, não posso impedir ninguém de participar da comissão. Vou enviar ofícios aos líderes", disse Gilmar Machado, para quem os citados poderão se defender melhor se forem afastados. Entre os citados pela CPMI está a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que é terceira vice-presidente da Comissão de Orçamento.

Após reunir-se com o relator do Orçamento, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), Machado disse que já está negociando com os líderes partidários a exigência de que toda prefeitura faça leilão eletrônico (via internet) para adquirir produtos ou serviços a serem pagos com verbas orçamentárias. O objetivo, explicou, é permitir que empresas de todo o país participem dos leilões municipais, "reduzindo preços e minimizando a possibilidade de fraudes". O deputado disse ainda que quer incluir a exigência na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2007, que ainda não foi votada pelo Congresso Nacional.

Como o Congresso Nacional está em recesso branco, por causa das eleições de outubro, a primeira reunião da comissão para acertar o cronograma de apreciação do projeto de lei do orçamento será no dia 4 de outubro. A proposta foi enviada pelo governo no dia 31 de agosto.