Ciciro Back / GPP
Ciciro Back / GPP

Lojas lotadas e horários estendidos
para atender a clientela.

Quem ainda não comprou o presente -ou presentes – de Natal, certamente vai enfrentar filas e lojas lotadas nos próximos dias. E não adianta: por mais que se critique o apelo comercial da data, é praticamente impossível deixá-la passar em branco. Em Curitiba, muitos shoppings estenderam o horário de atendimento para até as 23h, e alguns deles, a exemplo do que já ocorre em estabelecimentos de São Paulo em datas omemorativas, vão estar abertos durante 32 horas seguidas entre os dias 23 e 24. Tudo para atrair o cliente e vender mais.

Entre os lojistas, a expectativa é que as vendas de Natal sejam 8% maiores do que as do ano passado. Índice que, por enquanto, ainda não foi alcançado. ?Até o momento, há um movimento grande nas lojas, mas as vendas não se vêm  materializando?, comentou o assessor econômico da Federação do Comércio no Paraná (Fecomércio-PR) e rofessor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Vamberto Santana. Segundo ele, o que o consumidor mais tem feito até agora é pesquisar preços. ?O crescimento de vendas por enquanto é de 3% a 4%, muito abaixo do esperado.

A partir desta segunda-feira, deve haver uma concentração maior de vendas.? Para o economista, a maior parte das compras será paga à vista. ?Neste Natal, acredito, está havendo uma grande disposição das pessoas em pagar à vista, muito mais que no ano passado?, comentou. Aliás, nessa época do ano, os consumidores devem tomar cuidado com as propagandas, que prometem parcelas baixas, mas sem citar o número de prestações. ?Essa é uma estratégia usada pelo comerciante para tentar induzir ao consumo.

É importante, porém, que a decisão de compra seja tomada a partir de uma análise cuidadosa e de forma precavida?, advertiu. Poucas compras O gerente-geral do Shopping Curitiba, Carlos Torres, confirmou que as vendas de Natal ainda estão tímidas. ?O que se percebe, hoje, é um movimento muito maior do que gente realmente comprando?, afirmou. Segundo ele, até sexta-feira passada, as pessoas estavam mesmo era pesquisando.

O Shopping Curitiba espera um público 15% maior neste Natal e que as vendas cresçam 20%. Entre as os itens mais procurados, Torres afirma que a moda – roupas, calçados, acessórios – é sempre o carro-chefe. ?As pessoas sempre buscam uma blusinha ou uma calça para dar de presente. Mas os aparelhos celulares também prometem aquecer as vendas, porque as operadoras entram muito forte nessa época, e a novidade é sempre a tecnologia?, disse. Para as crianças, os brinquedos são imbatíveis. A média de preços dos presentes no Shopping Curitiba deve variar entre R$ 100,00 e R$ 120,00.

Para Torres, o ideal seria que o consumidor se programasse e fizesse as compras com antecedência. ?Por mais estrutura que a loja tenha, aparece um monte de gente de uma vez só e fica quase impossível de atender. Se antecipassem as compras, os clientes teriam facilidade maior e não precisariam enfrentar os shoppings lotados?, comentou. Outro risco ainda, para quem deixou para fazer as compras a poucos dias do Natal, é não encontrar o produto desejado.