Famílias inscritas na fila da Cohab entre janeiro e dezembro de 2001, com renda de quatro a seis salários mínimos mensais, estão sendo convocadas para a oferta de 304 apartamentos do Programa de Arrendamento Residencial (PAR). As unidades estão localizadas nos bairros do Cajuru e da Cidade Industrial e deverão ser entregues nos próximos 60 dias.

As famílias classificadas são chamadas por carta para participar de reuniões, onde recebem todas as informações sobre os empreendimentos e sobre o funcionamento do programa de arrendamento. Esta semana, a reunião foi realizada no auditório da Cohab e contou com a participação do presidente da Companhia, pastor Valdemir Soares.

O PAR é uma modalidade de acesso a uma unidade habitacional, que vem sendo colocada em prática desde 2000. Com um conceito diferenciado, o arrendamento substitui o financiamento convencional e tem como principal vantagem o custo mais acessível. O valor mensal que as famílias pagam pelo imóvel é inferior ao custo de um aluguel ou de uma prestação do Sistema Financeiro da Habitação.

As unidades têm cerca de 50 metros quadrados, dois quartos, em blocos de apartamentos que contam com áreas de estacionamento, parquinho infantil e salão de festas com churrasqueira. Pelo arrendamento, as famílias irão pagar uma taxa estimada em R$ 190 mais as despesas de condomínio. Os contratos, com prazo de 15 anos, garantem a opção de compra ao arrendatário no final do período.

O programa PAR está sendo implantado em Curitiba em parceria entre a Cohab e a Caixa. Os empreendimentos do PAR estão localizados em áreas do estoque da Companhia, em regiões já estruturadas, típicos vazios urbanos. As obras ficam sob responsabilidade de empreiteiras contratadas.

Desde que o convênio foi iniciado, 956 foram beneficiadas com a entrega de unidades. Outros 304 apartamentos, com obras concluídas, estão em fase de comercialização. Além disso, há mais 790 unidades com construção em andamento, 168 em início de obras e mais 826 em processo de aprovação de projetos na Caixa Econômica Federal.

Comercialização

As unidades que estão sendo ofertadas aos candidatos da fila são de três empreendimentos. Dois deles, o Residencial Flamboyant e o Residencial Jatobá, estão localizados na CIC, ao lado do conjunto Moradias Diadema. Juntos, eles têm 112 unidades. Os outros 192 apartamentos são do Residencial Solar da Serra, no bairro do Cajuru.

As obras foram encerradas e as famílias interessadas nas unidades poderão visitar os conjuntos para decidir qual o melhor local para morar. É o que pretende fazer o casal Luciane e Jonas Vez, que participou da reunião explicativa na sede da Cohab esta semana. Com um bebê de 45 dias e outro filho de nove anos, eles ficaram animados com a possibilidade de mudar para um imóvel do PAR.

Atualmente, pagam aluguel numa casa do Alto Boqueirão e. segundo Luciane, esta é uma despesa que não tem retorno algum. "Já a taxa de arrendamento é uma forma de investimento, porque a gente sabe que, ao final do pagamento, terá um patrimônio. O custo mensal é acessível ao nosso orçamento e isso também é uma grande vantagem", disse ela.

Outro casal, Cleverson Rocha Duarte e Solange Cardoso Alves, também saiu entusiasmado da reunião. A oferta do imóvel, para eles, chegou em boa hora. Eles pretendem se casar nos próximos meses. "Será vida nova em casa nova", disse Solange.

O que é

O PAR é programa federal que utiliza recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e introduziu uma nova modalidade de acesso à moradia, substituindo a compra financiada de unidades pelo arrendamento – uma espécie de leasing habitacional com prazo de 15 anos.

Neste período, a família paga uma taxa mensal, com correção anual, e tem a opção de adquirir o imóvel ao final do contrato. Os valores pagos ao longo do tempo serão considerados na ocasião da aquisição.

De acordo com a sistemática da parceria para implantação do PAR em Curitiba, os terrenos utilizados para construção são vendidos pela Cohab/CT mediante licitação e as empresas vencedoras executam os empreendimentos com recursos liberados pela Caixa Econômica Federal. As unidades produzidas são ofertadas às famílias inscritas na fila de candidatos a imóveis da Companhia.