Manaus – O próximo relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), que deverá ser divulgado em 2007, reconhece a relação entre o aquecimento global, aumento mundial de doenças e de mortalidade.

No terceiro e último relatório, publicado em 2001, os cientistas do mundo inteiro que compõem o grupo afirmaram que não havia evidências claras de que as mudanças climáticas recentes tivessem afetado a saúde da população.

?É isso que haverá de novo na área da saúde, dentro do relatório?, revelou à Radiobrás o médico brasileiro Ulysses Confalonieri. Ao lado de um cientista alemão, ele coordena o Comitê de Saúde do IPCC, do qual fazem parte também outros oito pesquisadores (da Índia, Inglaterra, Estados Unidos, Moçambique, Rússia, Nova Zelândia, Austrália e Argentina).

De acordo com Confalonieri, as principais conclusões do relatório serão de que a mudança climática afetou a distribuição geográfica de algumas espécies de vetores (transmissores de doença) e a concentração sazonal de pólen alergênico na atmosfera, sobretudo no hemisfério Norte.

Além disso, o documento deve citar o aumento da mortalidade devido às ondas de calor. ?Em agosto de 2003, cerca de 30 mil pessoas morreram de calor na Europa?, lembrou o médico.

O pesquisador brasileiro afirmou que as projeções dos cientistas sobre os efeitos das mudanças climáticas globais na área da saúde são genéricas. ?Sabemos que haverá impactos na nutrição, nas doenças diarréicas e cardiorespiratórias, na dengue e na malária, mas é difícil prever exatamente quais serãos?, ponderou. ?O relatório vai registrar também que essas conseqüências negativas serão maiores em países de baixa renda, mas que mesmo os países desenvolvidos ainda não estão preparados para se adaptar às mudanças do clima, especialmente às catástofres naturais?.

O quarto relatório do IPCC deve ser divulgado após a próxima Assembléia Geral do IPCC, marcada para abril de 2007, na Bélgica. Desde ontem (6) até o dia 17 deste mês está acontecendo no Quênia (África) a 12ª Conferência das Partes da Convenção sobre Mudanças Climáticas.