?Café e saúde? é um dos painéis mais esperados do IV Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, promovido pelo Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café e organizado pelo Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O evento teve início nesta segunda-feira (2) e prossegue até quinta-feira (5), no Centro de Exposições e Eventos de Londrina, Paraná.

O debate sobre saúde acontecerá na terça-feira (3) a partir das 8h30min. Serão realizadas as palestras ?O efeito do café no sistema hepático?, por Tasso Moraes, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ?Café e coração?, pelo cardiologista Luiz Antonio Machado César, do Instituto do Coração (Incor) de São Paulo e ?O café na saúde dos jovens?, pelo neurologista Darcy Lima, professor de Farmacologia Clínica na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Pesquisas científicas realizadas no Brasil, Estados Unidos, Japão e Europa mostram que o café possui propriedades medicinais importantes. Além disso, poucas pessoas sabem que o produto é mais rico em minerais que bebidas isotônicas e que contém nutrientes importantes para a saúde.

A ciência está desmistificando a fama do café como uma planta psicotrópica (efeito associado à presença de cafeína) – diz Roberto Passarinho, gerente adjunto técnico da Embrapa Café, ao considerar o simpósio de Londrina como o fórum ideal para discutir o assunto. Segundo ele, a idéia antiga de que o café era composto apenas de cafeína é responsável por este preconceito de que a bebida é nociva à saúde, como excitante e causador de dependência.

Hoje os pesquisadores sabem que administrada em doses moderadas (3 a 4 xícaras de café por dia) a cafeína não oferece risco à saúde humana. Estudos realizados nas últimas duas décadas mostram que a cafeína estimula naturalmente a atenção, a concentração, a memória e o aprendizado escolar.

Pesquisas recentes mostram também que os ácidos clorogênicos e serotoninas, substâncias presentes no café, após a torrefação, possuem relevantes efeitos antioxidantes, que podem prevenir males como as doenças cardiovasculares, câncer de cólon e outros. Mas o que realmente está surpreendendo os cientistas é o fato de que estas substâncias atuam no sistema nervoso central, modulando o estado de humor e, desta forma, prevenindo a ocorrência da depressão e suas conseqüências (tabagismo, alcoolismo, consumo de drogas e suicídio).

Mais informações sobre o tema café e saúde podem ser obtidas no site: http://www.cafeesaude.com.br