O município de Bauru, terra natal do astronauta Marcos Pontes, vai pedir ao governo russo a doação da cápsula DMA-7, que no dia 30 de março do ano passado transportou Pontes e seus companheiros Pavel Vinogradov (russo) e Jeffrey Williams (americano) da base do Casaquistão à Estação Espacial Internacional. O pedido foi definido numa reunião, realizada ontem entre o astronauta, o prefeito Tuga Angerami (sem partido) o vereador Primo Mangialiado (PV) e a professora de física Rosa Maria Fernandes Salvi, da Unesp-Bauru.

A idéia é colocar a cápsula no observatório anexo ao Instituto de Pesquisas Meteorológicas (IPMet), localizado no campus da Unesp. O veículo, que pesa sete toneladas e mede 2,8 metros de altura e 2,6 metros de diâmetro, deverá servir como atrativo turístico e incentivar estudos locais de aviação e astronáutica.

Depois de usada por Pontes e seus companheiros de viagem, a cápsula permaneceu por seis meses na estação espacial e voltou à Terra em setembro, trazendo outros astronautas. A cápsula onde viajam os astronautas é parte da nave Soyuz, composta por três módulos.

Bauru decidiu fazer o pedido depois que o Memorial Aeroespacial Brasileiro, com sede no Centro Técnico Aeroespacial (CTA), de São José dos Campos, obteve a doação da cápsula que trouxe Pontes da estação espacial para a Terra. As negociações serão feitas com o consulado da Rússia em São Paulo, o mesmo que tratou do processo do Memorial Aeroespacial. Pontes diz que a presença da cápsula deverá motivar a educação científica em Bauru e região.