As fortes chuvas que ocorreram no Litoral nos últimos dias prejudicaram a qualidade da água nas praias paranaenses. No último boletim de balneabilidade, divulgado nesta quarta-feira (15) pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, 11 pontos foram considerados próprios para banho. Os pontos próprios estão localizados: três em Pontal do Paraná, três em Matinhos e cinco em Guaratuba.

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida, os pontos impróprios devem-se ao período de chuvas intensas durante duas coletas realizadas semanalmente às quartas-feiras e domingos pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Segundo o meteorologista do Simepar, Samuel Braun, em fevereiro as chuvas foram bastante significativas e contínuas. ?Somente em dois dias, entre 9 e 11 deste mês, choveu 108 mililitros?, disse Samuel. ?A média pluviométrica nos primeiros quinze dias de fevereiro de 2005 foi de 110 mililitros. Em 2006, neste mesmo período, a média foi 240 mililitros, mais que o dobro se comparado ao ano anterior?, destacou Samuel.

O presidente do IAP, Rasca Rodrigues, explicou que a chuva causa o transbordamento do esgoto acumulado em fossas e valetas no período de estiagem, contribuindo com a contaminação da água. ?O que estava dentro das fossas transborda, misturando esgoto com água de boa qualidade?, disse.

Fossas

Desde janeiro os proprietários de imóveis no Litoral estão sendo orientados a fazer a higienização e desativação da fossa e do sumidouro. Segundo Rasca, muitas fossas antigas foram construídas irregularmente. ?Encontramos diversas fossas inadequadas, adaptadas somente ao número de moradores da casa e desconsiderando os visitantes recebidos durante a temporada?, disse Rasca. ?Com a adequação das fossas, regularização das ligações de esgoto e fiscalização de invasões sobre rios e canais que desembocam no mar nosso Litoral se manterá saneado?, avaliou.

A emissão de esgoto clandestina é responsável pela queda da qualidade da água em alguns pontos das praias paranaenses. A balneabilidade aponta a emissão de esgoto sanitário e também presença de coliformes fecais nas águas da orla paranaense.