O nível do Rio Negro, no ápice da estação de cheia na Amazônia, em junho, deverá ficar quase 1 metro acima do registrado no ano passado. Nos próximos 75 dias, ele deve atingir entre 28,62 e 29,32 metros. A estimativa do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) aponta que a cheia deste ano deverá ser de "média a grande".

"Embora deva ultrapassar o ápice da cheia de 2005 (28,10 metros), a deste ano deve ser 0,33 centímetros menor do que a maior dos últimos dez anos (1999, com 29,30 metros). Mas é possível que ultrapasse esse nível, indo de uma cheia média para grande", afirmou o gerente de hidrologia do CPRM, Marco Oliveira Os quase dois meses de chuva e degelo dos Andes, que provocam a cheia, já deixaram 16 mil pessoas desabrigadas em quatro municípios amazonenses.