O chefe de Comunicação da Caixa Econômica Federal (CEF), Gabriel Nogueira, apresentou-se hoje à Polícia Federal (PF) para esclarecer a participação no episódio da quebra ilegal do sigilo do caseiro Francenildo dos Santos Costa, o "Nildo". Nogueira confirmou ao delegado do caso, Rodrigo Carneiro Gomes, que jantava com o ex-presidente da CEF Jorge Mattoso na noite em que ele recebeu os extratos da conta de "Nildo".

O chefe de Comunicação da CEF estava com Mattoso e o diretor-jurídico da Caixa Econômica, Antônio Carlos Ferreira, no Restaurante La Torreta, quando o consultor especial da Caixa Ricardo Schumann chegou com um envelope pardo. Dentro, estavam os extratos do caseiro. Nogueira, no entanto, disse que apenas viu a entrega do invólucro e depois o ex-presidente da CEF falando ao telefone, mas que não sabia do que se tratava.

O depoimento durou cerca de duas horas e o chefe de Comunicação falou também sobre o que aconteceu depois da divulgação dos extratos. Com autorização de Gomes, deixou a PF pela garagem, sem dar declarações.

A PF ouviu hoje à noite o motorista que teria levado Mattoso na mesma noite do jantar até a casa do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci. "Nildo" também deve ser ouvido mais uma vez.