A polícia continua trabalhando no caso da chacina de Colombo, a maior já ocorrida no Paraná, quando nove pessoas foram assassinadas na noite de 28 de fevereiro. O delegado do Alto Maracanã, Messias Rosa, pretende identificar o mandante do crime e hoje irá à Colônia Penal Agrícola, em Piraquara, trabalhar nas investigações. Messias não acredita na versão dos autores da chacina, que apontaram Rubens Adriano Duarte, 28 anos, como mentor da barbárie. ?Vou investigar a fundo este caso. Por outro lado, ainda não surgiram provas em contrário de que Rubens possa ser o mandante?, disse o delegado. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)