O prefeito do Rio de Janeiro, César Maia (PFL), pré-candidato à reeleição, disse suspeitar que telefones da prefeitura são monitorados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado. O órgão é chefiado pelo secretário Anthony Garotinho, presidente recém-eleito do PMDB fluminense, que deve lançar candidato próprio, provavelmente o vice-governador Luiz Paulo Conde, cria política de Maia, de quem hoje é desafeto.

A suspeita, afirmou o prefeito do Rio, está baseada em informações fornecidas a ele há uma semana por “fontes” da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio. Maia alertou o secretariado municipal, com quem esteve reunido nesta quarta-feira, durante todo o dia.

O procurador-geral do Estado, Francesco Conte, anunciou que interpelará, judicialmente, o prefeito. Garotinho não falou sobre o assunto. A assessoria dele limitou-se a divulgar uma breve resposta a Maia, negando a acusação.