A Prisão Provisória de Curitiba dará lugar ao Centro Judiciário, que será construído com investimento de R$ 230 milhões. O projeto arquitetônico vencedor do concurso público realizado no início do ano prevê a preservação do edifício histórico da prisão, de 1903 ? uma exigência do edital do concurso ? e a construção de duas torres de 12 andares e um edifício de quatro andares, com área total de 170 mil metros quadrados.

O Centro irá abrigar todas as atividades de primeira instância do Poder Judiciário em Curitiba. Atualmente, as varas judiciais da capital estão espalhadas por 16 prédios diferentes ? a maior parte é alugada e representa uma despesa mensal de R$ 160 mil aos cofres públicos. O projeto prevê um prédio para cada especialidade ? cível, criminal e juizados especiais ?, facilitando o trânsito dos usuários pelo complexo.

O projeto arquitetônico será executado pelo escritório Königsberger Vannuchi, de São Paulo, e foi elaborado pelos arquitetos paulistas Gianfranco Vannucchi, Jorge Königsberger, Mario Biselli e Artur Katchborian. O trabalho do escritório paulista foi eleito o melhor entre os 52 inscritos pela Comissão Julgadora do concurso de arquitetura aberto para escolher o projeto e ratificado vencedor pelo presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Tadeu Marino Loyola Costa, e pelo governador Roberto Requião.

As obras devem começar em janeiro de 2007, e devem durar quatro anos, mas o Centro já poderá ser ocupado durante o andamento dos trabalhos. O projeto foi concebido como representação simbólica do Poder Judiciário no Brasil democrático, voltada para o povo. Assim, procurou-se valorizar os espaços abertos, tornando o edifício permeável para seus usuários. Ao mesmo tempo, o projeto valoriza o edifício histórico, que passará a funcionar como portal para o complexo.

A construção do Centro Judiciário é uma intervenção urbana sem precedentes na história recente de Curitiba. A obra atinge toda a região Norte da cidade, onde vivem cerca de 400 mil pessoas. O atual Centro Judiciário é uma extensão do Centro Cívico, construído pelo governador Bento Munhoz da Rocha Neto para marcar o centenário de emancipação política do Paraná, em 1953.