O Centro de Detenção e Ressocialização de Londrina deve estar pronto no início de novembro. O secretário estadual de Obras, Nilson Pohl, esteve nesta quinta-feira (4) na cidade e acertou que será assinado um aditivo ao contrato com a construtora, para que as obras sejam concluídas rapidamente. ?Falta só o acabamento, 93% das obras já foram concluídas?, informa o secretário. ?Em 70 dias, no máximo, estará tudo pronto?, completou.

A obra deveria ter sido concluída no começo deste mês, mas a Secretaria da Justiça e Cidadania apontou a necessidade de fazer algumas correções no projeto, segundo Nilson Pohl. ?A construtora vai triplicar o número de operários na obra, para acelerar sua conclusão?, afirmou o secretário de Obras. O Centro de Detenção e Ressocialização de Londrina terá 960 vagas e vai resolver o problema da superlotação nas delegacias da cidade.

O governo estadual está investindo R$ 78,5 milhões para criar 11 mil novas vagas no Sistema Penitenciário do Paraná, com a construção de 12 presídios. No início do atual governo, havia 6.400 vagas nas penitenciárias paranaenses. Até o final deste ano, o governo estadual terá inaugurado centros de detenção em Londrina, Cascavel e Francisco Beltrão, além de concluir a Penitenciária Feminina de Regime Semi-Aberto em Curitiba, o Patronato Penitenciário de Londrina, para presos em processo de saída do Sistema, e a Penitenciária de Regime Semi-Aberto de Guarapuava, além da reformas e ampliações já executadas em outras unidades.

Em junho, foi inaugurado o Centro de Detenção e Ressocialização de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, com 960 vagas. Em dezembro do ano passado começou a funcionar o Centro de Detenção Provisória de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, com capacidade para 900 presos.