O presidente da Companhia de Informática do Paraná, Marcos Vinícius Mazoni, reuniu o Comitê Executivo de Governo Eletrônico, nesta terça-feira (08), no Palácio Iguaçu e apresentou o balanço das ações realizadas em 2004 e as ações previstas para o ano que vem. "Nestes últimos anos o acesso ao Portal do Governo duplicou. São 39 milhões de acessos por mês.

Isso se deve à melhoria dos serviços prestados e à transparência das contas do governo, que estão sendo publicadas via internet", explicou ele.
Para o secretário de Assuntos Estratégicos, Nizan Pereira, este é um exemplo de democratização da informação. "O nosso governo eletrônico é o melhor do Brasil, não só em números de acesso, mas de respeito ao cidadão", declarou ele.

Mazoni explica que houve uma mudança no foco do Portal do Governo do Paraná. "O nosso objetivo, agora, não é só levar os serviços individuais, como informações sobre carro, carteira de motorista, tributos, entre outros, mas também os coletivos, como a prestação de contas do Estado, que dão condições para que a população controle o Estado", disse.

De acordo com Mazoni, as respostas às freqüentes perguntas da população em relação ao dinheiro gasto por uma administração pública é o diferencial do Portal do Paraná. "O Portal é uma mídia efetiva, que permite a comunicação do Estado com o cidadão, fortalecendo aquilo que é o aspecto principal do Governo Roberto Requião: a cidadania", acrescenta ele.

Outros assuntos também foram abordados na reunião como a ampliação da prestação de serviços, a disponibilização em locais públicos de meios de acesso ao governo eletrônico e a aproximação do cidadão paranaense das novas tecnologias.

"Vamos criar mecanismos eletrônicos de acesso popular, como é o caso dos Telecentros, que são os pontos de acessos à internet", disse ele. Mazoni explica que os computadores atendem 14% da população brasileira, por isso, é necessário buscar outras estruturas que permitem levar as informações do Estado ao cidadão.

SMS

Uma das novas tecnologias que já está sendo utilizada pela Secretaria do Emprego, Trabalho e Promoção Social e pela Agricultura é a chamada SMS – mensagens via celular. "Pensar em governo eletrônico não é somente pensar em internet, mas em todos os meios eletrônicos que as pessoas têm acesso", declarou ele. Mazoni conta que a telefonia celular atende a 40% da população brasileira por isso é uma forma a mais que permite levar as informações ao cidadão.

Software livre

Segundo o presidente da Celepar, o Portal do Governo do Paraná foi pensando de forma objetiva e simplificada. A plataforma passou de proprietária para livre e possibilitou o acesso a deficientes visuais, sendo hoje o portal mais visitado do Brasil. Para Mazoni, o Portal não exige que o cidadão tenha determinado tipo de software. "Há dois anos, o governo federal obrigava o cidadão a ter uma plataforma Microsoft, para fazer o Imposto de Renda. Não queremos que isso aconteça no Governo Eletrônico do Paraná. O cidadão pode ter o software que bem entender, seja ele livre ou proprietário", disse ele.

O Comitê Executivo de Governo Eletrônico é composto por cinco grupos de trabalho: Inclusão Digital, Normas e Padrões, Software Livre, Pagamento Eletrônico e Certificação Digital. Integram o Comitê Executivo a Celepar, as secretarias da Casa Civil, Administração e Previdência, Assuntos Estratégicos, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Comunicação Social, Planejamento e Coordenação Geral e Corregedoria e Ouvidoria Geral.