João de Noronha / GPP
João de Noronha / GPP

O casamento do publicitário Fabro
Boaz Steibel e da atriz Laura
Telles da Silva virou atração no
centro histórico de Curitiba.

Parecia que as pessoas que chegavam na manhã de hoje à Praça Garibaldi, no centro histórico de Curitiba, iriam participar de um baile à fantasia. Eram fadas, piratas, xeques árabes, duendes, mosqueteiros, soldados romanos e até o personagem humorístico Chaves. Mas o local de concentração era inusitado: a histórica Igreja do Rosário, do século 18. No centro das atenções, um "sapo" e uma "princesa". Era o casamento do publicitário Fabro Boaz Steibel e da atriz Laura Telles da Silva.

Moradores do Rio de Janeiro, eles vivem juntos há cerca de dois anos, após terem se conhecido exatamente em frente à igreja que escolheram para se casar. Aproveitaram o feriado prolongado do carnaval para reunir convidados de várias partes do Brasil. A opção pelas fantasias foi a tentativa de transformar o casamento em um conto de fadas. "Que sejam felizes para sempre, como nos contos", desejou o pai da noiva, Reinaldo da Silva, devidamente paramentado como o Rei Luiz XV.

De acordo com a noiva, que não abriu mão do vestido branco e nem do ar aristocrático de "princesa", a decisão pelas fantasias foi tomada há seis meses. "Mas eu não imaginava que seria assim", dizia deslumbrada com as vestimentas dos convidados. "Deu certo o que a gente sonhou." Para a entrada triunfal na igreja, ela escolheu a música "Case-se Comigo", de Vanessa da Mata. Nas colunas que ladeavam o tapete central sapos de plástico e pelúcia a recepcionavam.

A decoração era uma referência humorada ao noivo, que, vestido com roupas verdes e calçando um chinelo na mesma cor, personificava o anfíbio. "Quem quisesse vir de terno poderia. Estaria fantasiado de dono da Disney", brincou Fabro. Mas ele não queria que a cerimônia se transformasse em brincadeira. "A seriedade do casamento religioso é mantida. Temos fé, senão iríamos casar em outro lugar." O padre Dionísio Seibel não se estendeu em entrevistas, ressaltando que a diversão ficaria por conta dos convidados e que o sacramento era muito mais profundo que os aspectos externos.

A mãe do noivo, Leila Boaz, reconheceu que não era um casamento desse tipo que vinha pensando para o filho. "Ele me surpreendeu até quando disse que ia se casar", afirmou. "Mas como são um publicitário e uma atriz não podia esperar algo diferente." Entre as cerca de 200 pessoas que estavam na igreja, ela era uma das poucas que preferiu a vestimenta tradicional. Entrou sorridente, de braços dados com o "sapo", ao som da música tema do filme "Rei Leão".