A Capitania dos Portos do Paraná restabeleceu no fim de semana a navegação noturna no canal de acesso ao Porto de Paranaguá. Para isso, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) instalou uma bóia adicional que auxilia na sinalização do Canal da Galheta. A restrição para a passagem de navios à noite na baía foi feita na semana passada pelo capitão-de-mar-e-guerra Francisco dos Santos Moreira.

A grande agitação do mar, provocada por ressaca e ondas altas que atingiram as costas Sul e Sudeste do país nos últimos dias, foi a responsável pela diminuição das sobrelarguras do canal e pelo deslocamento de um banco de areia, duas situações que exigiram a medida preventiva de restringir a passagem de navios à noite.

?O fim da restrição não retira a preocupação com a manutenção e aprofundamento do canal. Estamos atentos e vamos continuar denunciando que só existem duas empresas no Brasil em condições de realizar a dragagem em Paranaguá?, disse o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Eduardo Requião.

Aditivo

Há três anos e meio a superintendência da Appa tenta resolver os problemas de dragagem decorrentes de um contrato firmado há cinco anos e que sofreu modificações a partir do segundo Termo Aditivo, aprovado pelo Conselho de Autoridade Portuária (CAP). Tais mudanças produziram dificuldades em relação aos serviços de dragagem no Porto de Paranaguá e na Ponta do Félix, em Antonina.

A licitação que daria início à solução do problema foi realizada em março de 2006, mas ficou deserta, o que – segundo a direção do porto – denotou pressão para que o certame original no valor de R$ 35 milhões fosse alterado para R$ 66 milhões.

Ao ser informado sobre esta situação, o governador Roberto Requião insistiu para que o Porto de Paranaguá tivesse o seu próprio sistema de dragagem, pois, segundo ele, não é possível admitir que só duas empresas controlem a dragagem e os preços no Brasil.

O superintendente Eduardo Requião diz que é preciso acabar com estes cartéis. ?Estamos buscando alternativas corretas e não queremos respostas imediatas e emergenciais e, sim, programação e definição?.