A fila dos caminhões que aguardam para descarregar soja no porto de Paranaguá já chegou a São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, num percurso de 65 quilômetros.

O superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Eduardo Requião, responsabiliza as operadoras de não estarem cumprindo as cotas mínimas de embarque dos produtos, fazendo “operação tartaruga” para pressionar pela liberação dos transgênicos, e diz que, caso a velocidade dos trabalhos não aumente até amanhã, a superintendência assumirá a operação no porto.

Representantes das nove operadoras que atuam no Porto de Paranaguá se reúnem ainda hoje para analisar as declarações do superintendente.

Os caminhoneiros reclamam dos prejuízos, da falta de infra-estrutura e da segurança na BR 277 que é escura e alvo fácil para ladrões.