Os caminhoneiros brasileiros que cruzam a fronteira com o Paraguai, em Foz do Iguaçu, estão propensos a parar suas atividades. O motivo: o órgão paraguaio correspondente à Receita Federal brasileira está cobrando uma taxa de R$ 390 de cada caminhoneiro brasileiro que for ao Paraguai.

A medida é um represália aos 25% do valor do frete relativos ao Imposto de Renda (IR) que está sendo retido na fonte dos caminhoneiros paraguaios que vem ao Brasil.

Ontem, caminhoneiros paraguaios e brasileiros fecharam a aduana em Foz como forma de protesto. Na ocasião, a taxa cobrada pela Receita brasileira era a mesma, 25%, já os caminhoneiros brasileiros estavam pagando R$ 187 no Paraguai. Hoje, o valor da tarifa paraguaia foi dobrada. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)