O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) rejeitou há pouco questão de
ordem apresentada pelo vice-líder do governo na Câmara, João Leão (PL-Bahia). A
questão de ordem afirmava que não havia fato determinado para instalar uma CPI
sobre a denúncia de corrupção nos Correios. A argumentação foi rechaçada pelo
líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (Amazonas).

O líder argumentou
que o objetivo de Leão é atrasar a abertura da CPI e remeter o assunto para a
Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Afirmou ainda que o fato
determinado é o recebimento de propina pelo funcionário dos Correios, Maurício
Marinho. Renan Calheiros indeferiu a questão de ordem apresentada pelo
vice-líder do governo. João Leão então apresentou recurso, mas Renan, embora
tenha remetido o assunto para a CCJ, alertou que o recurso não terá efeito
suspensivo. Na prática, a CPI poderá ser instalada normalmente, apesar da
atitude governista.