A Caixa Econômica Federal solicitou hoje (21) à revista Época a cópia do extrato bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa que foi publicada na edição desta semana. O banco recebeu hoje (22) representantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, que levaram a cópia a que tiveram acesso. Mas, segundo a assessoria da Caixa, a cópia é ilegível.

Já o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) que compareceu à Caixa, esta tarde, considera que ficou clara a participação de algum diretor da Caixa na violação do sigilo bancário de Francenildo. "O que ficou claro é que não foi um extrato de auto-atendimento, não foi retirado através de internet mas é um extrato que foi emitido a nível de gerência", afirma.

Francenildo dos Santos Costas é caseiro e uma das testemunhas que diz ter visto o ministro da Fazenda Antônio Palocci em casa alugada em Brasília por Vladimir Poleto por "dez ou 20 vezes". Poleto foi um dos assessores de Palocci, na época em que ele foi prefeito de Ribeirão Preto (SP). Atualmente, o ex-assessor é investigado pela CPI por suspeita de tráfico de influência no governo. Amanhã a CPI dos Bingos vota um requerimento para obter com a revista Época, a acópia do extrato.