A temporada do Milan está longe de ser do jeito que seus torcedores sonhavam, as críticas por seu rendimento na Copa do Mundo ainda ecoam, mas Cafu não perde o bom humor nem a vontade de jogar futebol. Aos 36 anos – completados em junho -, o capitão do penta e da fracassada campanha na Alemanha ainda não pensa em encerrar a carreira.

O que Cafu ainda não sabe é onde vai jogar ano que vem. Seu contrato com o Milan vence em junho e, se não renovar, ficará livre para ir para onde quiser. A decisão, ele garante, será tomada em janeiro. "Estou pensando no que fazer, conversando muito com minha família. Em janeiro resolvo o meu destino. E a decisão que eu tomar será definitiva.

Ele diz que existe chance de renovar com o Milan, mas na Itália essa possibilidade é considerada remota. O plano da diretoria é remoçar o elenco, contratando jogadores jovens. E a lateral-direita é uma das posições para a qual os dirigentes querem sangue novo – não é à toa que o são-paulino Ilsinho foi o jogador que mais agradou a Ariedo Braida, o diretor-geral do Milan que no começo do mês passou 15 dias vendo partidas no Brasil e na Argentina. Além disso, há muitos comentários de que Carlo Ancelotti não será o técnico do time na próxima temporada. E ninguém sabe se um novo treinador terá planos para utilizá-lo.

Cafu diz ter proposta de outro clube italiano, de outros países europeu e também uma do Brasil. "Mas nem adianta me apertar para saber qual é o time daí, porque não vou dizer de jeito nenhum", comenta com bom humor.