Das 85 amostras de cafés provenientes das oito etapas regionais do Concurso Café Qualidade Paraná 2005, 23 delas da categoria café natural e 15 de café cereja descascado, estão sendo julgadas para classificação estadual nesta quinta (13) e sexta feira (14) na sede de eventos da Associação dos Funcionários do Iapar, em Londrina.

Ao todo serão selecionadas neste certamente promovido pelo Governo do Paraná, Câmara Setorial do Café e diversos parceiros, cinco amostras de cada categoria. Os primeiros e segundos lugares participarão do Leilão Nacional, promovido pela Associação Brasileira das Indústrias de Café, em final de novembro, no Recife (PE). Os restantes terceiros aos quintos lotes classificados, estarão no Leilão Estadual, marcado para o dia 10 de novembro, em Londrina, durante o encerramento oficial de divulgação e premiação do concurso.

Para o engenheiro agrônomo Edison José Trento, coordenador do Projeto Café da Emater ?o concurso é a melhor vitrine para melhorar preços na comercialização da safra, beneficiando a classe cafeicultora que está adotando os princípios tecnológicos da qualidade?. Nesta segunda edição do concurso já é notado o rumo do marketing empregado pelos integrantes da cadeia produtiva paranaense, que segundo Trento também está contribuindo na mudança de imagem positiva do café do Paraná no mercado comprador.

A comissão julgadora estadual é composta pelos degustadores classificadores Francisco Barbosa Lima, do Departamento de Café do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Carlos Antônio Amaral Monteiro, da Bolsa de Cereais e Mercadorias de Londrina; Sidney Veiga de Araújo, da Cia Iguaçu de Café Solúvel; Sérgio Rodrigues, da SR Assessoria, Representações e Corretora de Café de Piraju, SP; Joana D? Arc Teixeira de Faria, da Emater; Armando Androcioli Filho, do Iapar; Marcos Aparecido Sória Bezerra, representante das cooperativas agropecuárias do Paraná e Elio Massami Tuda, da Café Damasco.