O presidente americano, George W. Bush, declarou nesta segunda-feira (07) que Cuba "tem a possibilidade" de se transformar em outro tipo de sociedade, mas que depende apenas do povo decidir, embora os exilados poderiam participar do processo em breve. "Uma vez que o povo de Cuba decida formar um governo, logo depois os cubano-americanos deverão fazer parte daquele país e atualizar o tema do confisco de propriedades", afirmou Bush. "Mas o primeiro passo quer dizer que o povo cubano necessita decidir o futuro de seu país".

Estes foram os primeiros comentários públicos de Bush sobre Cuba depois da hospitalização do presidente Fidel Castro na semana passada. O líder cubano foi levado a uma clínica desconhecida para se submeter a uma cirurgia intestinal, cujo grau de evolução continua uma incógnita. Bush, falando a jornalistas em seu rancho em Crawford, Texas, onde passa férias, disse que o mistério envolvendo os acontecimentos em Havana são consistentes com o fato de Cuba "não ser uma sociedade muito transparente".

"Só há especulações, e isso é tudo", afirmou. "Por um lado (diz-se que) que está muito doente e, por outro, que vai sair logo do hospital, mas na realidade não sei (o que ocorre com a saúde de Fidel)".

Mediante a chamada lei Helms-Burton, os cidadãos americanos têm o direito de reclamar suas propriedades confiscadas pelo governo cubano através de processos judiciais abertos em tribunais americanos.

Ainda falando aos jornalistas, Bush disse que é desejo de seu governo que "o povo cubano possa escolher sua própria forma de governo". "E gostaríamos que – e deixarei isto muito claro – que se Cuba tem a possibilidade de se transformar de uma tirania em um tipo diferente de sociedade, o povo é quem deve decidir", afirmou Bush. "O povo da ilha de Cuba deve decidir".