O presidente norte-americano, George W. Bush, sugeriu que os Congressistas deveriam se envergonhar por terem acrescentado itens não relacionados à guerra ao orçamento de gastos do Iraque. "Gosto de amendoins como todos, mas acredito que a segurança de nossas tropas deveria vir antes da segurança de uma safra de amendoins", disse Bush em seu pronunciamento semanal por rádio, referindo-se a um artigo da legislação de financiamento de guerra que destina US$ 74 milhões para assegurar a estocagem de amendoim.

O Senado aprovou um projeto pedindo que a maior parte dos soldados em combate dos EUA seja retirada do Iraque até 31 de março de 2008, enquanto a versão da Câmara pede uma retirada até setembro de 2008. Nas duas casas, as datas são atreladas à legislação prevendo os recursos para financiar as operações militares no Iraque e no Afeganistão este ano.

Bush reiterou sua promessa de vetar os projetos se o prazo for mantido, e se os recursos não relacionados continuarem como estão. "Cada projeto imporia condições restritivas aos nossos comandantes militares", disse o presidente. "Cada projeto também fixaria prazos arbitrários para rendição e retirada no Iraque e acredito que isso teria conseqüências desastrosas para nossa segurança aqui (nos EUA)".

A Câmara e o Senado terão de conciliar as diferentes versões e os congressistas entraram em recesso de duas semanas. Ontem, a Casa Branca, afirmando que o dinheiro para as tropas está começando a acabar, reclamou que a Câmara deveria pelo menos ter nomeados seus negociadores antes de entrar em recesso.