O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, disse que a posição da instituição, de que o Ministério Público não tem poder de investigação, foi absolutamente técnica. “O órgão que denuncia não pode investigar porque estaria contaminado dentro da sua visão”, afirmou. A posição da OAB foi manifestada hoje, em Brasília, durante reunião ordinária.

Busato disse ainda que o Brasil deve ter investigações claras e transparentes. “É por isso que, às vezes, nós criticamos o próprio governo por não tomar posições claras?, disse. Segundo Busato, ?a Ordem quer que as coisas sejam colocadas em seu devido lugar?. Ele afirmou que ?medida provisória é para existir dentro de assuntos urgentes e relevantes; projeto de lei para regular o país, e também o Ministério Público tem que andar dentro da legalidade. O Ministério Público tem que ser legal dentro da sua função constitucional?, acrescentou.