O advogado Rogério Buratti disse, nesta quinta-feira, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos que a campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002 recebeu contribuição de empresas de jogos de São Paulo.

"Tive notícias de que Ralf (Barquete) levou a informação a Delúbio Soares da contribuição de R$ 1 milhão, ao tempo da campanha do presidente Lula, proveniente das empresas de jogos de São Paulo. Não sei se foi por dentro ou por fora". O ex-secretário de Fazenda de Ribeirão Preto, Ralf Barquete, morreu em junho de 2003.

Também sem apresentar provas, Buratti afirmou aos parlamentares que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, recebia propina quando era prefeito de Ribeirão Preto. Segundo Buratti, o ministro recebia R$ 50 mil por mês da empresa Leão&Leão, responsável pela coleta de lixo e entulho na cidade. Em entrevista coletiva, Palocci negou veementemente a informação.

"Eu reafirmaria meu depoimento mesmo na presença do ministro", disse Buratti. Segundo ele, Ralf Barquete foi quem lhe falou sobre o esquema de pagamento de propina.

O advogado disse que não conhece o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e que os R$ 50 mil seriam levados por Ralf Barquete. "O Ralf conhecia o Delúbio e as informações que eu tive dele é que ele levou dinheiro ao Delúbio algumas vezes".