Rio de JaneiroA polícia identificou apenas como Jefferson, Fernando e Oswaldo os três presos assassinados na carceragem da Polinter de Ricardo de Albuquerque nesta segunda-feira. Eles seriam os líderes entre os presos na cadeia e foram mortos a golpes de barras de ferro e facas improvisadas.

O diretor da Polinter, Luiz Antônio Buzinaro, afirmou que as mortes foram resultado de uma disputa pela liderança na cadeia, onde todos os presos são ligados à facção criminosa Comando Vermelho.

No fim da noite desta segunda, a polícia tentava identificar os responsáveis pelos crimes, que responderão a inquérito. A tarefa estava sendo dificultada pela superlotação. De acordo com o diretor da Polinter, a carceragem tem capacidade para 280 homens e abriga cerca de 900 detentos.

?Os policiais conseguiram evitar que isso virasse uma rebelião ou uma carnificina?, ressaltou Buzinaro.