A diretoria da agência do Paraná do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) quer aumentar a atuação da instituição nas regiões com menor índice de desenvolvimento humano (IDH), afirmou o diretor administrativo Amadeu Geara, na reunião da equipe do governo desta segunda-feira (18).

O objetivo do BRDE é fomentar o desenvolvimento econômico e social, apoiando iniciativas governamentais e empresariais. Segundo o governador em exercício, Orlando Pessutti, com a privatização do Banestado, o BRDE passa a ser o principal banco de desenvolvimento das regiões mais deprimidas do Paraná.

O BRDE atua nos três Estados da região Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – e no estado de Mato Grosso do Sul, que integram o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul). O banco possui somente no Paraná uma carteira de operações de crédito de R$ 511,7 milhões, do total de R$ 1,529 bilhão. O patrimônio líquido do BRDE é de R$ 447,5 milhões.

Desde a sua criação, em 1961, o banco já concedeu empréstimos no valor de US$ 15,8 bilhões e proporcionou investimentos de US$ 36,2 bilhões, gerando 1,3 milhão de empregos e US$ 4,7 bilhões em ICMS.