A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) começa a receber esta madrugada os cerca de cinco mil trabalhadores rurais para o 10.º Grito da Terra Brasil. Durante três dias, eles ficarão acampados na Esplanada dos Ministérios.

O primeiro evento previsto para amanhã é uma assembléia, a partir das 6h. Em seguida, os trabalhadores fazem passeata em direção ao Ministério do Desenvolvimento Agrário. À tarde, estão previstas audiências em outros ministérios. A agenda de reuniões será divulgada durante a assembléia.

Na quarta-feira, os agricultores protestam em frente ao Ministério da Justiça contra o assassinato de líderes sindicais do campo. Uma lista com o nome das vítimas será entregue ao ministro Márcio Thomaz Bastos.

De acordo com o vice-presidente da Contag, Alberto Ercílio Broque, a pauta de reivindicações a ser apresentado ao governo contém cerca de 190 itens. Eles tratam de problemas emergenciais e estruturais no meio rural. ?Até agora, está tudo em negociação com o governo. Existem alguns consensos, mas não obtivemos nenhuma manifestação concreta?, disse Broque.

Entre as principais reivindicações dos agricultores está a liberação de R$ 13 milhões para o Plano Safra e o assentamento de 115 mil famílias até 2006. A Contag defende ainda a aprovação do projeto de previdência rural, a criação de políticas de combate à violência no campo e realização de campanha para combater a contaminação por agrotóxicos.