A família de Acioli Pariz Júnior, assassinado em Londres em fevereiro, sepultou o corpo do rapaz de 28 anos neste fim de semana no cemitério de Jaguaré, no norte do Espírito Santo. A informação é do site capixaba Gazeta Online.

O translado do corpo da capital inglesa para a cidade de Jaguaré foi custeado pelo governo do Espírito Santo, Estado natal de Acioli.

De acordo com a Gazeta Online, o caixão foi trazido em um avião comercial e aterrissou no Brasil à zero hora. O irmão, Jalber Pariz, e a mãe do rapaz, Benildes Altoé, receberam o corpo no Aeroporto de Vitória e acompanharam a viagem até Jaguara.

O enterro ocorreu por volta das 13 horas do sábado. Ainda segundo a Gazeta Online, o corpo chegou a ser velado, embora tudo tenha sido feito com muita rapidez.

Acioli foi morto a facadas em um quarto do hotel Westminster House, no centro de Londres. O ex-soldado escocês Roderick McDonald, de 51 anos, é o principal suspeito do crime.

Ex-foragido da polícia escocesa, McDonald foi encontrado morto em sua cela em uma prisão de Brixton, no sul de Londres. Sua morte está sendo tratada como um suicídio

Os promotores encarregados de acusar o suspeito sustentam que os dois tiveram um relacionamento amoroso durante o tempo em que ambos viveram na cidade de Blackpool, no norte da Inglaterra.

Segundo relatos de amigos, Acioli se mudou para Londres nos últimos dias de janeiro, cerca de três semanas antes de ser assassinado.

Seu corpo foi encontrado agredido e esfaqueado às 12h12 do dia 14 de fevereiro. Horas antes, ele havia sido visto por testemunhas nos arredores da estação de Victoria, que conecta a capital britânica a vários pontos do interior.

Em uma manifestação incomum da polícia londrina, o detetive que se ocupou do caso disse: "Este foi um assassinato extremamente violento e Acioli deve ter sofrido terrivelmente nas mãos de seu assassino.