Foto: José Cruz/Agência Brasil

Waldir Pires, ao lado do presidente da Infraero José Carlos Pereira: problema sem solução.

Brasília – Após uma reunião de quatro horas com os presidentes da Infraero e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o ministro da Defesa, Waldir Pires, comentou a atual crise nos aeroportos e o anúncio dos controladores de vôo de realizar uma operação padrão, o que aumenta os atrasos de decolagens em todo país. Segundo ele, a luta dos controladores por melhorias deve levar em conta ?em primeiro lugar? olhar para os passageiros. ?A impaciência só traz retrocessos?, disse. Indagado sobre como o governo encara a situação, Waldir Pires disse que o Estado democrático e as famílias brasileiras ?não podem ficar reféns de ninguém?.

Com a participação do presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, e do presidente da Anac, Milton Zuanazzi, a reunião discutiu um relatório com medidas para acabar com a crise no tráfego aéreo. Contudo, durante coletiva de imprensa, o grupo não comentou nenhuma das medidas discutidas.

O relatório, segundo Pires, deve ser entregue ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva em até 15 dias. Nós estamos elencando todos os problemas de diagnóstico, são fatos antigos, alguns são até de decênios. Temos que vencê-los, vamos vencê-los. E, conseqüentemente, a partir daí construir um caminho cada vez melhor de um sistema de transporte aéreo que possa atender às expectativas de desenvolvimento e de necessidades do nosso povo. Essencialmente, foram esses os objetivos do nosso encontro?, resumiu Pires.

Pires revelou que para reverter a crise no setor é necessário investir em equipamentos, máquinas, infra-estrutura, pistas, além de medidas de recursos humanos e possíveis contratações de controladores.