Depois de participar da reunião da bancada do PSDB no Senado, o líder do partido na Casa, Arthur Virgílio (AM), anunciou que se lançará candidato à presidência no Conselho de Ética, que se reunirá às 17 horas desta quarta-feira (27) para retomar a discussão do processo contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

"O PSDB não vai se furtar à sua responsabilidade de fazer as investigações que são necessárias. Por isso, se nenhum outro candidato aparecer, eu concorrerei sozinho", disse Arthur Virgílio. Ele explicou que como é suplente no Conselho, terá que ser nomeado titular. Com isso, a senadora tucana, Marisa Serrano (MS) vai abrir mão da vaga no conselho para dar a ele. Esse procedimento, porém, só poderá ser feito no plenário do Senado, depois que toda pauta tiver sido votada. Por conta disso, a sessão do Conselho de Ética pode ser adiada para a noite. Outra opção é que Arthur Virgílio se candidate apenas a relator.

Outra idéia é encaminhar o nome do senador do PT Aloizio Mercadante (SP) para a relatoria, por ser um nome representativo dentro do partido do governo. Nesse caso, ele pode ser suplente. "Nós todos do PSDB temos história suficiente para não indicar um dos nossos integrantes para ocupar a presidência, se fosse para organizar uma farsa", disse Virgílio. Ele acrescentou que se depender dele o Conselho de Ética vai trabalhar no recesso.