Aparecida – A tradicional Via-Sacra realizada todos os anos em Aparecida reuniu ontem cerca de 15 mil pessoas, entre moradores da cidade e romeiros. A cerimônia foi realizada em dois horários, às 5h e às 8h, mas a maior parte do público, cerca de 10 mil, optou pelo primeiro horário, por causa da temperatura mais amena. Durante duas horas e meia, os fiéis acompanharam as orações realizadas em cada uma das 14 estações, localizadas no trajeto do Morro do Cruzeiro, com obras do artista plástico Adélio Sarro Sobrinho, que narram toda a trajetória de Cristo no Calvário.

“Este é um momento de reflexão sobre a paixão e morte de Cristo e também é uma demonstração do amor dele por nós”, afirmou o padre João Clímaco Cabral. O tema da Campanha da Fraternidade deste ano – Água, Fonte de Vida – também foi bastante abordado no conteúdo das reflexões. A previsão de público na cidade, para amanhã, é de 55 mil pessoas, bem abaixo da média de 120 mil registrada em outras épocas do ano.

Em Brasília, milhares de pessoas acompanharam a via-sacra mais tradicional do Distrito Federal, que começou às 16h no Morro da Capelinha, em Planaltina. Segundo o Grupo Via Sacra ao Vivo, cerca de mil e cem atores e 300 técnicos participaram este ano da encenação da Paixão de Cristo. O espetáculo durou cinco horas e mostrou o flagelo, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo.

Atores e técnicos se dedicam desde o início do ano aos preparativos do espetáculo, que consumiu mais de R$ 350 mil, doados pelo governo do Distrito Federal e por empresários locais. A programação religiosa de ontem foi marcada na capital pernambucana por atos litúrgicos e procissões em todas as igrejas católicas. A celebração mais importante do dia foi na igreja matriz de Santo Antônio, no centro da cidade.