Rio – Mesmo com a garantia de policiamento reforçado, médicos da emergência do Instituto Estadual de Infectologia São Sebastião, no Caju, zona norte do Rio, decidiram ontem não reabrir o setor. Referência no tratamento de doenças infecto-contagiosas, o hospital fechou a emergência na sexta-feira porque os profissionais temem traficantes da região. Eles exigiam atendimento imediato para qualquer caso. O hospital é cercado por 15 favelas. A gota d?água aconteceu na semana passada, quando um médico do Instituto foi agredido por duas mulheres que seriam de uma das favelas próximas.